Aneurisma da aorta

Extremamente grave e, praticamente, sem sintomas evidentes, Aneurisma é a dilatação, anormal e permanente, de um determinado segmento de artérias.

Aneurisma ocorre a partir do enfraquecimento da parede arterial, que pode ser congênito – alguns tipos de aneurismas intracranianos; ou ocasionado a partir de outras doenças –  inflamações, infecções, traumatismos, degeneração e a aterosclerose, que é o acúmulo nas paredes das artérias de gorduras, colesterol e de outras substâncias.

Com o enfraquecimento, a parede arterial passa a ceder à pressão do sangue em seu interior. A partir daí, a tendência é o aumento progressivo da dilatação até a ruptura  da artéria.

A aorta abdominal é um local comum para o desenvolvimento do aneurisma, embora qualquer outra artéria possa ser acometida. Aneurismas da aorta abdominal podem ocasionar trombose aguda, embolia arterial, corrosão de corpo vertebral, compressão de estruturas vizinhas e, o mais grave, a ruptura da artéria, que leva à morte.

Normalmente os sintomas não são evidentes, mas Aneurismas podem ser facilmente detectados pelo médico, especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, através de um exame clínico associado a exames complementares, sendo os mais usados o RX Simples abdominal, a ecografia abdominal, a tomografia computadorizada, a arteriografia e a ressonância magnética.

Assim que diagnosticar Aneurisma, o médico irá definir qual será o tratamento adequado, de acordo com o diâmetro, o risco de ruptura, risco da cirurgia e a expectativa de vida do paciente. Entre as opções estão: cirurgia convencional – retirada do aneurisma e uso de prótese para restabelecimento do fluxo arterial; e terapia endovascular – colocação de endoprótese no aneurisma.

Tratamento

Aneurisma é grave e quanto antes for diagnosticado e tratado melhor será para o paciente. Afinal, quando não tratados, os aneurismas podem causar complicações sérias, entre elas:

  • Trombose aguda;
  • Embolia Arterial;
  • Corrosão do corpo vertebral;
  • Compressão das estruturas vizinhas;
  • Ruptura das artérias, levando à morte.

Somente através da avaliação de um médico, especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, é que poderá ser definido o tratamento mais adequado, em virtude do diâmetro do Aneurisma, do risco de ruptura da artéria, do risco de cirurgia e da expectativa de vida do paciente.

Entre os tratamentos possíveis estão:

  • Cirurgia Convencional: retirada do aneurisma e uso de prótese para restabelecimento do fluxo arterial;
  • Terapia Endovascular: técnica um pouco menos invasiva que prevê a colocação de endoprótese internamente ao aneurisma.

O diagnóstico precoce e o planejamento correto dos procedimentos, conduzidos por equipe médica especialista e experiente, são questões fundamentais para o sucesso do tratamento.

Sintomas

Aneurisma normalmente é silencioso, com sintomas que não são muito específicos. Muitas vezes, o diagnóstico de aneurisma de aorta ocorre por acaso, durante a realização de exames de rotina no abdômen.

Quando o Aneurisma já está muito aumentado pode haver a compressão de órgãos “vizinhos”, deixando alguns sintomas evidentes.

Em muitos casos, porém, o diagnóstico só ocorre com a ruptura da artéria, o que pode levar à morte.

No entanto, o médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular conseguirá detectar o aneurisma através de avaliação clínica associada a exames de imagem.

Exames complementares são usados para oferecer um diagnóstico mais preciso. Entre eles estão:

  • RX Simples abdominal – consegue delinear o aneurisma e seus limites,
  • Ecografia abdominal – usada para segmento de aneurismas não operados,
  • Tomografia computadorizada – apresenta imagens mais precisas sobre os limites, tamanho e localização do aneurisma,
  • Arteriografia – usada normalmente para programação da cirurgia, pode apresentar falhas na delimitação do aneurisma, por isso não oferece um diagnóstico tão preciso.
  • Ressonância magnética – apresenta imagens de ótima qualidade e favorece muito o diagnóstico do aneurisma.

O importante é realizar o diagnóstico o quanto antes para que o médico possa indicar o tratamento mais adequado, de acordo com o diâmetro, risco de ruptura, risco de cirurgia, expectativa de vida do paciente, entre outros aspectos.

Principais causas

Aneurisma ocorre com o enfraquecimento da parede arterial, que passa a ceder à pressão do sangue, causando a dilatação.

A tendência é o aumento progressivo dessa dilatação, que, se não for diagnosticada e tratada, poderá provocar trombose aguda, embolia arterial, corrosão de corpo vertebral, compressão de estruturas vizinhas e, o mais grave, a ruptura da artéria, levando à morte.

O enfraquecimento da parede arterial pode ocorrer pelas seguintes causas:

  • Congênito – condição presente desde o nascimento, geralmente hereditário;
  • Decorrente de Inflamações, Infecções ou traumatismos;
  • Resultante de degeneração;
  • Aterosclerose – acúmulo de gorduras, colesterol e de outras substâncias nas paredes das artérias.

O médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular poderá fazer o diagnóstico preciso e definir qual o tratamento mais indicado.