Tratamento varizes: tipos e processos de recuperação

Existem várias possibilidades para o tratamento de varizes, com técnicas cada vez menos invasivas e com recuperação mais rápida.
Porém, em alguns casos ainda é necessário realizar a cirurgia. A indicação de cada tratamento deve ser feita sempre pelo médico, Angiologista e Cirurgião Vascular, a partir da avaliação do paciente, do seu histórico de saúde e da sua necessidade.

Abaixo apresentamos alguns tipos de tratamentos para varizes e como são os processos de recuperação de cada um deles:

1) Safenectomia

É a cirurgia para retirada de safena, normalmente indicada para pacientes que estão com a veia muito dilatada e com refluxo significativo.
Por ser um processo mais invasivo, que demanda internação e repouso pós-operatório, a sua recuperação pode ser mais lenta. O tempo de recuperação pode variar de uma semana até 30 dias, em média, para retomada das atividades. Mas, vale lembrar que podem ter exceções.

 

2) Cirurgia a laser

Nessa cirurgia é inserida dentro da veia uma fibra ótica, com o laser, que é aplicado, secando e tratando as varizes.

Por não ter cortes e internação, a recuperação é mais rápida. E, entre 4 e 7 dias o paciente pode retomar as suas atividades.

 

3) Cirurgia com radiofrequência

Procedimento similar à cirurgia à laser, porém usa a emissão de radiofrequência para eliminar a safena. Por não demandar cortes e internação, a recuperação também varia entre 4 e 7 dias.

 

4) Escleroterapia com espuma

Mais conhecido como aplicação com espuma, este tratamento para varizes é considerado com um dos menos invasivos. Afinal, trata-se da aplicação com seringa de medicamento para secar as varizes.

Normalmente demanda mais de uma aplicação, mas a recuperação é super rápida. O paciente não precisa interromper as suas atividades cotidianas, mas é importante que use meias compressivas.

 

5) ClaCs

Este tratamento integra as técnicas de escleroterapia (aplicação) e laser para potencializar os resultados. Também está entre os procedimentos pouco invasivos, em que o paciente não precisa interromper as suas atividades e não precisa usar meias compressivas.

Para todos os tipos de tratamento, é fundamental que o paciente mantenha o acompanhamento com o médico Angiologista e Cirurgião Vascular.

 

Por Dr. Gustavo Costa Franklin Reis

Anticoncepcional causa varizes?

Existem muitos mitos e polêmicas em relação ao uso dos anticoncepcionais e o aparecimento de varizes. Para esclarecer algumas dúvidas que sempre recebo em meu consultório, apresento algumas informações básicas sobre o assunto.

 

Anticoncepcional causa varizes?

Os anticoncepcionais, sejam eles injetáveis, transdérmicos ou orais, são considerados fatores potencializadores de varizes e causadores de trombose.
Isso acontece em virtude dos hormônios presentes na sua fórmula:
• Estrogênio – que pode interferir na parede das veias e prejudicar a circulação de sangue; e
• Progesterona – que proporciona dilatação das veias e interfere no fluxo do sangue.

 

É preciso parar de tomar anticoncepcional?

Vale lembrar que o anticoncepcional, por mais simples que possa parecer, também é um tipo de remédio. Por isso, é fundamental que o seu uso seja recomendado e acompanhado por um médico ginecologista.
Para as mulheres que apresentam doenças vasculares, passado de trombose, vasculite diagnosticada ou histórico familiar dessas doenças, é recomendável que, além do ginecologista, também façam o acompanhamento com um angiologista e cirurgião vascular.
Importante ressaltar que as pessoas que tenham registro de quadro de trombofilia, doença do sangue diagnosticada, têm que redobrar os cuidados e sempre fazer o acompanhamento com o angiologista e cirurgião vascular.
Em muitos casos, o método contraceptivo pode ser alterado ou serão repassadas orientações sobre como controlar ou evitar outros fatores potencializadores de trombose e de outras doenças.

 

Check-up vascular

Prevenir é sempre o melhor remédio. Por isso, sempre recomendo a realização de um check-up vascular, mesmo para pessoas que ainda não tenham o diagnóstico de doenças vasculares.
Isso porque, o check-up permite prevenir as doenças ou identifica-las precocemente, permitindo a indicação do tratamento mais adequado e assertivo.

 

Por Dr. Gustavo Costa Franklin dos Reis