Conheça os benefícios das polainas e meias de compressão para os exercícios físicos

A minha amiga e paciente Natalia Vasconcelos @natyvasconcelos e outras pessoas sempre me perguntam: as polainas e meias de compressão esportivas realmente ajudam? Sim! Veja os benefícios:

· Mantém a musculatura aquecida;

· Sustenta e alinha a musculatura diminuindo a vibração;

· Melhora o retorno venoso;

· Diminui a sensação das pernas cansadas, câimbras e dores na panturrilha;

· Reduz o risco de lesões;

· Aumenta a performance;

· Contribui para a recuperação mais rápida pós atividade física.

O uso das meias de compressão também tem seus efeitos negativos. A musculatura pode se acostumar com elas e, consequentemente, perder a capacidade de se adaptar as mudanças de terreno, tornando-a mais vulnerável às lesões. Portanto, recomendo realizar exercícios com e sem elas. Dê preferência para usá-las em dias mais frios, quando você sente que seu corpo está um pouco mais cansado ou quando for realizar um exercício exaustivo como as maratonas.

É importante tirar medidas adequadas para que a meia tenha um ajuste perfeito na sua perna. Uma meia compressiva colocada de forma errada ou do tamanho inadequado pode piorar a circulação. Sendo assim, consulte sempre seu angiologista e cirurgião vascular antes de comprar sua polaina ou meia de compressão esportiva.

Inverno aumenta o risco de infarto?

Parece mito, mas é verdade. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) há um registro de aumento de até 30% de casos de infarto e AVC (Acidente Vascular Cerebral) durante o inverno. A explicação para esse aumento é uma reação automática do organismo para impedir a perda de calor do corpo nos dias frios, que provoca a vasocontrição.

 

A vasocontrição é a contração, estreitamento, dos vasos e artérias, que causa a diminuição do transporte de sangue para as mãos e os pés, e também faz com que ele chegue com menos força no coração. Em virtude disso, o coração passa a ter que fazer mais esforço para bombear o sangue para as diversas partes do corpo, e pode ficar sobrecarregado.

 

A situação representa um risco maior para pessoas com doenças cardiovasculares, tais como aterosclerose – acúmulo de gordura; vasculite – inflamação nos vasos sanguíneos; varizes e vasinhos – veias e vasos doentes que trazem problemas para a circulação; tromboses – coagulação anormal do sangue; entre outros. Isso porque, com o estreitamento de vasos e artérias, a presença de coágulos ou placas de gordura aumentam a chance de ocorrer o bloqueio do sangue para o coração, provocando o infarto.

 

Para minimizar isso, a melhor recomendação é sempre a prevenção: prática de atividades físicas, alimentação mais saudável, controle do peso, não fumar e, principalmente, realizar o controle com o médico especialista.

 

A realização do check-up vascular é recomendada pelo menos uma vez ao ano, especialmente para pessoas com doenças cardiovasculares ou histórico familiar.

 

O check-up vascular prevê a realização da avaliação clínica e, quando necessário, de exames complementares. Assim, favorece o diagnóstico precoce e possibilita a indicação e condução de um tratamento médico mais assertivo.

O que é insuficiência arterial?

A Insuficiência Arterial Periférica, uma Doença Arterial Obstrutiva Periférica – DAOP, acomete artérias por meio do estreitamento ou obstrução dos vasos sanguíneos, que são responsáveis por transportar o sangue rico em oxigênio e nutrientes para as pernas, braços, extremidades do corpo.

 

Isso pode provocar a redução do fluxo sanguíneo, tendo como consequência a lesão de nervos, músculos e tecidos, podendo evoluir para a perda do membro.

 

O que causa a Doença Arterial Obstrutiva Periférica?

 

Uma das causas mais comuns da Doença Arterial Obstrutiva Periférica é a Aterosclerose, que é o acúmulo de gorduras, proteínas, células de inflamação nas paredes dos vasos sanguíneos.

 

Além do histórico familiar, são fatores potencializadores da DAOP:

Tabagismo é um dos fatores potencializadores da DAOP

  • hipertensão arterial,
  • falta de atividade física,
  • obesidade,
  • tabagismo,
  • diabetes,
  • doenças renais – em que o paciente necessita de hemodiálise, doença arterial coronariana,
  • hiperlipidemia – são pessoas que apresentam altos níveis de gorduras circulantes no sangue.

 

Quando eu sei que tenho a Doença Arterial Obstrutiva Periférica?

 

Na maioria dos casos, a DAOP não apresenta sintomas iniciais e isso é prejudicial para definição de um diagnóstico precoce.

Com o avanço da Doença podem aparecer os primeiros sintomas, porém eles variam de acordo com a artéria que estiver obstruída. Veja alguns exemplos:

 

  • Dor cardíaca durante esforço, angina ou enfarte são sintomas para as fases inicial, crônica e aguda da obstrução das artérias do coração.

 

  • Dores nas pernas no momento do exercício, com melhora na sua interrupção, conhecido como claudicação intermitente, é um sinal de doença arterial dos membros inferiores.

 

Por isso, caso tenha algum histórico familiar ou esteja enquadrado em algum dos fatores potencializadores da doença, o recomendado é que procure um médico, especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, e faça um check-up anual.

 

É possível tratar a Doença Arterial Obstrutiva Periférica?

Após a confirmação do diagnóstico da Doença Arterial Obstrutiva Periférica, o médico fará a indicação do tratamento mais adequado, considerando o histórico de saúde do paciente e a fase da doença – inicial, crônica, aguda.

 

Entre os tratamentos possíveis estão:

 

 

  • Mudança de hábitos alimentares e de saúde,
  • Uso de medicamentos e atividades de caminhada supervisionada,
  • Terapias cirúrgicas (revascularização),

Cirurgia de Revascularização realizada por Dr. Gustavo Franklin

  • Técnica Endovascular para desobstrução do vaso em casos de necessidade.

 

Tratamento Endovascular

 

 

Qual a diferença entre a insuficiência arterial e insuficiência venosa crônica?

 

A insuficiência arterial, ou Doença Arterial Obstrutiva Periférica, provoca uma estenose ou obstrução do fluxo sanguíneo nas artérias, provocado principalmente pela aterosclerose dos vasos sanguíneos que transportam sangue e oxigênio para os membros inferiores.

Já a insuficiência venosa crônica é causada por um problema de funcionamento nas válvulas ou aumento de pressão nas veias das pernas, que faz com que o sangue não consiga retornar ao coração de forma adequada. Elas são causadas normalmente por varizes e pela trombose venosa profunda.

São duas doenças totalmente distintas que exigem tratamentos diferentes. Por isso, sempre procure um cirurgião vascular ou Angiologista para conduzir essas doenças.

Dr. Gustavo Costa Franklin Dos Reis