Tratamento estético e tratamento médico: como saber a diferença?

Em busca de uma boa aparência e do bem estar físico, muitas pessoas acabam se confundindo entre tratamentos estéticos e médicos. E isso pode representar um grande risco para a saúde, como tem sido amplamente divulgado nos meios de comunicação nos últimos dias.

Um bom exemplo para isso é o tratamento de varizes e vasinhos. Sempre sou procurado por pessoas que perguntam se esse tipo de tratamento só pode ser feito por um médico. E a resposta é categórica: SIM, somente por um médico especialista!

Embora sejam associadas ao grande incômodo estético que provocam, as varizes e os vasinhos são doenças vasculares, que podem levar à complicações para a saúde, caso não sejam devidamente tratadas.

Por isso, mesmo com opções de técnicas menos invasivas de tratamento, o procedimento deve ser feito apenas por um médico, especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, e em local adequado – consultório, clínicas médicas ou hospital; com todo aparato necessário.

Afinal, o médico Angiologista e Cirurgião Vascular é o profissional habilitado, com formação e especialização adequadas, para ser responsável e zelar pela integridade do paciente, realizando os exames necessários, indicando qual o tratamento mais adequado para cada situação e fazendo o acompanhamento pós-tratamento. E tudo isso com o amparo do Conselho de Medicina e da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Por outro lado, o tratamento estético, que por definição tem como finalidade apenas a aparência física das pessoas, envolve atividades de baixa complexidade. E, portanto, pode ser desenvolvido por profissionais com capacitação técnica focada no procedimento estético que será realizado.

Assim, fica mais fácil delimitar e diferenciar um tratamento estético de uma questão médica. No entanto, em caso de dúvidas, o mais indicado é que antes de realizar qualquer tratamento, você procure um médico para ser orientado.

Por Dr. Gustavo Costa Franklin dos Reis