É possível prevenir varizes?

Sabemos que varizes é uma doença genética. Isso quer dizer que quem tem um histórico familiar tem uma grande chance de ter varizes.
Dessa forma, embora não seja possível prevenir isso, há como diminuir alguns fatores potencializadores das varizes e minimizar o seu agravamento.

Como diminuir os fatores que podem potencializar a ocorrência de varizes e vasinhos?

Sedentarismo, alcoolismo, má alimentação, obesidade, entre outras questões estão na lista dos fatores que podem aumentar os riscos da ocorrência das varizes e, até mesmo, contribuir para a sua progressão.

Assim, para evitar isso é necessário buscar ter:

• Boa qualidade de vida;
• Alimentação mais saudável;
• Hidratação constante;
• Evitar álcool e tabagismo;
• Controle de peso;
• Controle da pressão arterial;
• Prática de atividades físicas, especialmente a musculação e os exercícios para panturrilha, que ajudam a melhorar a circulação;
• Fazer o check-up anual com o Angiologista e Cirurgião Vascular – principalmente para quem já tem histórico familiar de doenças vasculares.

O que fazer quando as varizes começam a aparecem?

Se os vasinhos e as varizes já começaram a aparecer, mesmo que de forma bem tímida, o ideal é que você procure o médico, Angiologista e Cirurgião Vascular, para fazer o acompanhamento e o tratamento. Isto é uma forma de controlar as varizes e os vasinhos, impedindo que se agravem.

Vale lembrar que após a gravidez e/ou o uso de anticoncepcional por muitos anos é muito comum que ocorra o aumento de varizes e vasinhos. Por isso, é importante ir tratando e controlando isso desde o início.

Por que é necessário controlar e tratar as varizes?

Na verdade, o controle e o tratamento são fundamentais para não deixar as varizes aumentarem e progredirem.
Além disso, o tratamento permite :
• Diminuir dores e inchaços nas pernas,
• Minimizar incômodos, como os edemas,
• Manter as pernas saudáveis,
• Melhorar da autoestima, com a melhora estética das pernas – quem não quer ficar mais confortável para usar roupas curtas, biquinis, etc, não é mesmo?
Dessa forma, embora não se previna a ocorrência das varizes, é possível controlar os fatores potencializadores e as primeiras evidências, evitando, assim, a sua progressão.

Simples vasinhos ou varizes de grosso calibre? O que você tem?

Você sabia que varizes e vasinhos são problemas diferentes? E que  existem classificações e níveis de gravidade diferentes das varizes?

Os vasinhos, ou as telangiectasias, são pequenos vasos localizados abaixo da pele, de cor violeta ou rosa, elas se alastram como teias de aranha e provocam grande desconforto estético.

Já as varizes são veias anormais, que ficam dilatadas, tortuosas e retorcidas. Elas perdem a sua função e podem provocar dores e outros transtornos para os pacientes.

As varizes podem ter vários tipos e estágios, que variam de acordo com calibre das veias, edema, alterações da pele como pigmentações e feridas.

 

Mas, como saber qual o seu tipo?

 

Os sintomas podem variar muito. É possível, por exemplo, encontrar varizes grossas e que não apresentem quase nenhum sintoma.

E, por outro lado, ter apenas vasinhos e sentir vários sintomas. Há também casos em que a paciente apresente tanto vasinhos quanto varizes.

Para fazer essa “classificação” e avaliar a situação do paciente é necessário passar por exame clínico com o médico Angiologista e Cirurgião Vascular e, se necessário, realizar alguns exames complementares.

 

Qual o melhor tipo de tratamento

 

A partir do diagnóstico, o médico irá indicar o tratamento mais adequado, de acordo com o histórico de saúde do paciente e o nível de progressão das varizes ou dos vasinhos.

Em alguns casos, o médico pode sugerir técnicas combinadas, que apresentam um resultado muito satisfatório.

Conheça alguns dos tratamentos disponíveis:

Escleroterapia – CLIQUE AQUI

Tratamento com espuma – CLIQUE AQUI

Laser – CLIQUE AQUI

Laser e escleroterapia (ClaCs) – CLIQUE AQUI

Cirurgia – CLIQUE AQUI