Check-up vascular: já fez o seu esse ano?

O ano já está quase no fim e a pergunta é: você fez o seu check-up vascular em 2018?
Na correria cotidiana, muitas vezes as pessoas deixam para procurar o médico quando já estão com algum problema mais sério, o que pode até representar um risco para a vida.
O Check-Up Vascular é super importante, pois ele possibilita que algumas doenças vasculares sejam identificadas precocemente, ainda na fase inicial.
Assim, o médico, Angiologista e Cirurgião Vascular, poderá indicar o tratamento e profilaxia mais adequados para o paciente, minimizando sintomas e, principalmente, complicações futuras.

 

Quem precisa fazer o check-up vascular anual?

O check-up vascular pode ser feito por qualquer pessoa, no entanto, é indicado:

• Quem já registrou algum problema vascular – varizes, vasinhos, trombose, entre outros;
• Quem tem histórico familiar de doenças vasculares;
• Pessoas com obesidade;
• Fumantes;
• Idosos.

 

Quais doenças vasculares podem ser identificadas em um check-up vascular?

 

Entre as doenças vasculares que podem ser diagnosticadas no check-up estão:
Varizes
Trombose
Obstrução das artérias carótidas (que pode provocar o AVC)
• Dilatação anormal das artérias (que pode causar o aneurisma).

 

Como funciona?

 

O check-up vascular é conduzido por um médico, especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, que vai realizar o exame clínico e recomendar:

• Exame de sangue
• Exames complementares.

O processo é simples e não demanda muito tempo. E, o mais importante, faz muito bem para a sua saúde!

 

DR. GUSTAVO COSTA FRANKLIN DOS REIS

ANGIOLOGISTA E CIRURGIÃO VASCULAR

Dicas para amenizar os incômodos das varizes no verão

Quem tem varizes sabe que basta a temperatura ficar um pouco mais quente para que os incômodos comecem a ficar piores: pernas e pés inchados, dores e ardências, sem falar do desconforto estético.

Isso acontece devido à maior dilatação das veias nas pernas em virtude do aumento da temperatura.  Assim, os desconfortos já comuns para quem tem varizes, ficam ainda piores.

Para evitar isso, o mais indicado é, com certeza, procurar um médico Angiologista e Cirurgião Vascular, para dar início ao tratamento mais adequado.

No entanto, enquanto ainda não iniciou o tratamento, ficam algumas dicas para amenizar esses desconfortos:

 

1)            Evite passar muito tempo em pé;

2)            Usa roupas mais frescas

3)            Pratique atividades físicas, principalmente àquelas que fortaleçam a panturrilha, pois isso ajuda na melhora da circulação

4)            Mantenha-se bem hidratada

5)            Prefira alimentações mais leves e frescas

6)            Ao final do dia, coloque as pernas para o alto e fique em repouso

 

E, não deixe de procurar o médico Angiologista e Cirugião Vascular, afinal, varizes são doenças vasculares e precisam ser cuidadas de forma correta, para evitar problemas mais sérios futuramente.

 

DR. GUSTAVO COSTA FRANKLIN DOS REIS

Tratamento varizes: tipos e processos de recuperação

Existem várias possibilidades para o tratamento de varizes, com técnicas cada vez menos invasivas e com recuperação mais rápida.
Porém, em alguns casos ainda é necessário realizar a cirurgia. A indicação de cada tratamento deve ser feita sempre pelo médico, Angiologista e Cirurgião Vascular, a partir da avaliação do paciente, do seu histórico de saúde e da sua necessidade.

Abaixo apresentamos alguns tipos de tratamentos para varizes e como são os processos de recuperação de cada um deles:

1) Safenectomia

É a cirurgia para retirada de safena, normalmente indicada para pacientes que estão com a veia muito dilatada e com refluxo significativo.
Por ser um processo mais invasivo, que demanda internação e repouso pós-operatório, a sua recuperação pode ser mais lenta. O tempo de recuperação pode variar de uma semana até 30 dias, em média, para retomada das atividades. Mas, vale lembrar que podem ter exceções.

 

2) Cirurgia a laser

Nessa cirurgia é inserida dentro da veia uma fibra ótica, com o laser, que é aplicado, secando e tratando as varizes.

Por não ter cortes e internação, a recuperação é mais rápida. E, entre 4 e 7 dias o paciente pode retomar as suas atividades.

 

3) Cirurgia com radiofrequência

Procedimento similar à cirurgia à laser, porém usa a emissão de radiofrequência para eliminar a safena. Por não demandar cortes e internação, a recuperação também varia entre 4 e 7 dias.

 

4) Escleroterapia com espuma

Mais conhecido como aplicação com espuma, este tratamento para varizes é considerado com um dos menos invasivos. Afinal, trata-se da aplicação com seringa de medicamento para secar as varizes.

Normalmente demanda mais de uma aplicação, mas a recuperação é super rápida. O paciente não precisa interromper as suas atividades cotidianas, mas é importante que use meias compressivas.

 

5) ClaCs

Este tratamento integra as técnicas de escleroterapia (aplicação) e laser para potencializar os resultados. Também está entre os procedimentos pouco invasivos, em que o paciente não precisa interromper as suas atividades e não precisa usar meias compressivas.

Para todos os tipos de tratamento, é fundamental que o paciente mantenha o acompanhamento com o médico Angiologista e Cirurgião Vascular.

 

Por Dr. Gustavo Costa Franklin Reis

Anticoncepcional causa varizes?

Existem muitos mitos e polêmicas em relação ao uso dos anticoncepcionais e o aparecimento de varizes. Para esclarecer algumas dúvidas que sempre recebo em meu consultório, apresento algumas informações básicas sobre o assunto.

 

Anticoncepcional causa varizes?

Os anticoncepcionais, sejam eles injetáveis, transdérmicos ou orais, são considerados fatores potencializadores de varizes e causadores de trombose.
Isso acontece em virtude dos hormônios presentes na sua fórmula:
• Estrogênio – que pode interferir na parede das veias e prejudicar a circulação de sangue; e
• Progesterona – que proporciona dilatação das veias e interfere no fluxo do sangue.

 

É preciso parar de tomar anticoncepcional?

Vale lembrar que o anticoncepcional, por mais simples que possa parecer, também é um tipo de remédio. Por isso, é fundamental que o seu uso seja recomendado e acompanhado por um médico ginecologista.
Para as mulheres que apresentam doenças vasculares, passado de trombose, vasculite diagnosticada ou histórico familiar dessas doenças, é recomendável que, além do ginecologista, também façam o acompanhamento com um angiologista e cirurgião vascular.
Importante ressaltar que as pessoas que tenham registro de quadro de trombofilia, doença do sangue diagnosticada, têm que redobrar os cuidados e sempre fazer o acompanhamento com o angiologista e cirurgião vascular.
Em muitos casos, o método contraceptivo pode ser alterado ou serão repassadas orientações sobre como controlar ou evitar outros fatores potencializadores de trombose e de outras doenças.

 

Check-up vascular

Prevenir é sempre o melhor remédio. Por isso, sempre recomendo a realização de um check-up vascular, mesmo para pessoas que ainda não tenham o diagnóstico de doenças vasculares.
Isso porque, o check-up permite prevenir as doenças ou identifica-las precocemente, permitindo a indicação do tratamento mais adequado e assertivo.

 

Por Dr. Gustavo Costa Franklin dos Reis

Exercícios para panturrilhas que ajudam a circulação sanguínea

As pernas têm um papel importante na circulação sanguínea e, não por acaso, costumam ser afetadas por problemas vasculares.

 

Isso porque, no processo de circulação, há um esforço maior das partes inferiores do corpo para fazer com que o sangue retorne para o coração.

 

Assim, exercícios e atividades que fortaleçam os grupos musculares das pernas, principalmente a panturrilha, ajudam a melhorar esse processo de circulação.

 

Elencamos aqui alguns exercícios que ajudam no fortalecimento da panturrilha, como consequência, na melhora a circulação sanguínea. Confira:

 

  • Elevação de panturrilha em pé, com barra, agachamento, alongamentos, rebaixamento de calcanhares, leg press, dorsiflexão (flexão dorsal), entre outros.
  • Caminhada e/ou corrida
  • Natação
  • Yoga
  • Pilates
  • Bicicleta

 

A prática de atividade física contribui para a melhora da saúde de uma forma geral, inclusive evitando a obesidade que está associada à causa de várias doenças.

Vale lembrar que antes de iniciar a prática de qualquer exercício físico é fundamental fazer uma avaliação médica.

Caso já tenha alguma doença vascular, ou tenha histórico familiar, é recomendável fazer um check-up com um médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, para ser devidamente orientado.

Tratamento estético e tratamento médico: como saber a diferença?

Em busca de uma boa aparência e do bem estar físico, muitas pessoas acabam se confundindo entre tratamentos estéticos e médicos. E isso pode representar um grande risco para a saúde, como tem sido amplamente divulgado nos meios de comunicação nos últimos dias.

Um bom exemplo para isso é o tratamento de varizes e vasinhos. Sempre sou procurado por pessoas que perguntam se esse tipo de tratamento só pode ser feito por um médico. E a resposta é categórica: SIM, somente por um médico especialista!

Embora sejam associadas ao grande incômodo estético que provocam, as varizes e os vasinhos são doenças vasculares, que podem levar à complicações para a saúde, caso não sejam devidamente tratadas.

Por isso, mesmo com opções de técnicas menos invasivas de tratamento, o procedimento deve ser feito apenas por um médico, especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, e em local adequado – consultório, clínicas médicas ou hospital; com todo aparato necessário.

Afinal, o médico Angiologista e Cirurgião Vascular é o profissional habilitado, com formação e especialização adequadas, para ser responsável e zelar pela integridade do paciente, realizando os exames necessários, indicando qual o tratamento mais adequado para cada situação e fazendo o acompanhamento pós-tratamento. E tudo isso com o amparo do Conselho de Medicina e da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Por outro lado, o tratamento estético, que por definição tem como finalidade apenas a aparência física das pessoas, envolve atividades de baixa complexidade. E, portanto, pode ser desenvolvido por profissionais com capacitação técnica focada no procedimento estético que será realizado.

Assim, fica mais fácil delimitar e diferenciar um tratamento estético de uma questão médica. No entanto, em caso de dúvidas, o mais indicado é que antes de realizar qualquer tratamento, você procure um médico para ser orientado.

Por Dr. Gustavo Costa Franklin dos Reis

Quem tem varizes pode fazer musculação?

Em meu consultório uma pergunta muito comum é sobre a influência da musculação no aparecimento ou agravamento da varizes.

Sabemos que o sedentarismo está entre os fatores potencializadores das varizes, assim, a prática de atividades físicas é muito importante para quem tem problemas de circulação e doenças arteriais.

Caminhada, corrida ou natação, normalmente são atividades recomendadas, pois ajudam na ativação da circulação, fortalecem a musculatura das pernas, favorecem a oxigenação dos músculos e de outros órgãos e, consequentemente, no condicionamento físico.

A musculação, assim como qualquer outra atividade física, também pode ajudar nesse sentido. Para isso, no entanto, é fundamental que a atividade seja devidamente acompanhada por um profissional especializado e que sejam tomados cuidados com a carga de peso e de  exercícios.

 

Como a musculação pode causar ou piorar as varizes?

 

O excesso de carga de peso e de exercício pode provocar:

  • Lesões que causam alterações na circulação.
  • Ao realizar uma atividade mais intensa ou usar um equipamento com carga mais pesada, há uma tendência da pessoa prender a respiração, o que provoca um aumento na pressão intra-abdominal. Assim há uma consequência direta na circulação, causando um aumento na pressão das veias.

 

As duas questões podem potencializar o aparecimento de varizes, especialmente nas pessoas que já possuem histórico familiar ou têm algum outro fator potencializador – tabagismo, uso de álcool, uso de anticoncepcional, tratamento hormonal, entre outros.

Para quem já tem varizes, há a possibilidade de intensificar o problema. Por isso, é importante redobrar o cuidado.

 

Então, não devo fazer musculação?

 

Sempre vejo pontos positivos na musculação: controle do peso, melhora no sono, do metabolismo, circulação, equilíbrio hídrico e muito mais.

Por isso, na minha opinião, os benefícios da atividade física acabam por superar os riscos. Ajudam a fortalecer a panturrilha, melhorar o condicionamento físico e a circulação.

Para ter mais segurança –  se você possui varizes, tem histórico familiar ou algum fator que potencializa o aparecimento; é recomendável que antes de iniciar a atividade procure um médico, especialista em angiologia e cirurgia vascular.

Isso porque o médico pode indicar meias esportivas de compressão, que podem ajudar no exercício, assim como dar outras dicas e recomendações, considerando o seu perfil e as suas condições físicas.

Além disso, é essencial que você sempre tenha o acompanhamento de um profissional qualificado quando for praticar a atividade, para que ele oriente sobre exercícios, movimentos e carga de pesos.

 

Por Dr. Gustavo Franklin

Angiologista e Cirurgião Vascular

Gravidez provoca varizes?

Essa é mais uma dúvida comum que recebo em meu consultório. Muitas mulheres querem saber se a gravidez provoca, ou não, varizes e vasinhos.

Embora não seja a principal,  gravidez também está entre as causas das varizes e dos vasinhos, estando associada à origem genética – que é a causa central; e outros fatores que podem potencializar as ocorrências:

– Problemas de circulação,

– Sedentarismo,

– Alcoolismo,

– Tabagismo,

– Tratamentos hormonais,

– Uso de pílulas anticoncepcionais,

– Entre outros.

 

Como a gravidez pode causar varizes e vasinhos?

 

A gravidez aumenta a probabilidade de ocorrência de varizes e vasinhos em virtude das seguintes questões:

 

– Ganho de peso, que interfere na circulação de sangue;

– Aumento da produção de sangue – para a mãe e para o bebê;

– Pressão que o útero faz sobre os vasos pélvicos;

– Relaxamento na parede dos vasos por causa do aumento dos níveis de progesterona.

 

 

 

É possível evitar?

 

Quando a mulher já tem conhecimento sobre casos de doenças vasculares na família, ela precisará redobrar os cuidados em sua gravidez.

Manter a hidratação, fazer atividades físicas adequadas, ter uma alimentação equilibrada e fazer o acompanhamento adequado com o médico são algumas das dicas que podem ajudar a diminuir as probabilidades.

Além disso, poderá  ser recomendado o uso de meias compressivas e o acompanhamento com médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular.

E, para quem não se cuidou como deveria durante a gravidez, e está sofrendo com as varizes e vasinhos, a dica é agendar uma consulta com um Angiologista para que ele possa realizar a avaliação e indicar a melhor forma de tratamento.

 

Leia mais

 

Para saber mais sobre varizes – CLIQUE AQUI

Mais informações sobre vasinhos você também pode encontrar AQUI

 

Varizes podem ser tratadas com pomadas?

Todos os dias as pessoas assistem aos comerciais que falam sobre cremes e pomadas que prometem tratar das varizes. Em meu consultório já recebi muitos pacientes que me questionam sobre a eficácia destes produtos para as varizes. Por isso, decidi escrever esse artigo para esclarecer a dúvida.

Em primeiro lugar é importante entender que, muito além do desconforto estético, as varizes são doenças vasculares – veias tortuosas, altas, doentes; que precisam ser tratadas.

As varizes têm origem genética, mas podem ser potencializadas por diversos fatores, tais como sedentarismo, alcoolismo, tabagismo, tratamentos hormonais, problemas de circulação, entre outros. Por isso, elas podem acometer mulheres – especialmente por causa das questões hormonais e do uso de pílulas anticoncepcionais; e também homens.

Os principais sintomas são: dores nas pernas, inchaço, sensação de queimação ou de “perna cansada”. Caso não sejam devidamente tratadas, elas podem evoluir para quadros de úlceras – feridas; tromboses e, até mesmo, embolia pulmonar, entre outros problemas de saúde.

 

Quando usar as pomadas?

 

Quando prescritas por um médico especialista, as pomadas podem trazer o efeito de alívio e amenizar os sintomas da varizes, mas não tratam de fato a veia.

Elas  também podem ser úteis no pós tratamento de cirurgias, de aplicação e laser, pois ajudam na absorção dos hematomas e na recuperação.

Assim, as pomadas podem ser prescritas para uso conjuntamente com outros tratamentos.

 

Tratamentos para varizes

 

Dentre as possibilidades existentes hoje podemos destacar:

– Uso de pomadas, meias elásticas e medicação: para casos mais simples, o médico pode recomendar para amenizar os sintomas.

– Aplicação com espuma (Escleroterapia): aplicação diretamente na veia de uma espuma com líquido esclerosante.

Laser endovenoso: aplicação de laser para cauterização das veias doentes.

– ClaCs: uso associado de aplicação (escleroterapia) e laser para tratar para vasinhos e veias reticulares.

Cirurgia de safena: cirurgia para retirada da veia safena.

A recomendação do tratamento mais adequado vai variar de acordo com o quadro do paciente – casos mais simples ou complexos; o estado de saúde e o histórico do paciente e, até mesmo, a sua disponibilidade para o tratamento e para a recuperação.

Isso porque alguns tratamentos podem exigir mais de uma sessão para que se tenha um resultado mais efetivo. Por outro lado, há tratamento que exige um período maior de recuperação, enquanto outros são bem menos invasivos e o paciente pode retomar a sua rotina bem rapidamente.

É importante ressaltar que somente o médico, especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, é quem deverá recomendar qual o tratamento mais adequado para cada paciente, considerando a sua situação.

O ideal é agendar uma consulta para realizar a avaliação clínica. Caso necessário, serão recomendados exames complementares.

 

Gustavo Franklin

Angiologia e Cirurgia Vascular

Cuidado com o sol quando fizer tratamento de varizes

O tratamento para varizes pode ser feito de várias formas, dentre elas a cirurgia, a aplicação com espuma e laser.

As situações podem deixar hematomas pequenos na pele, que desaparecem, em média, uma semana após o tratamento.

No entanto, se a pele for exposta ao sol, sem proteção, esses pequenos hematomas podem fixar, deixando uma marca quase que permanente na pele.

Como evitar as marcas na pele


Para evitar isso, as recomendações são:

➡️ Evite ao máximo a exposição ao sol na primeira semana do tratamento;

➡️Se for necessário se expor ao sol, não se esqueça do protetor solar, especialmente nos locais em que os hematomas apareceram;

➡️Mantenha o uso caprichado do protetor, mesmo nas semanas seguintes ao tratamento;

➡️Em caso de dúvida, consulte o seu médico.

Saiba mais


A indicação do tratamento adequado para varizes deverá ser feita por um médico, especialista em angiologia e cirurgia vascular, a partir da avaliação do paciente.

Para mais informações, CLIQUE AQUI