Posts

É possível prevenir varizes?

Sabemos que varizes é uma doença genética. Isso quer dizer que quem tem um histórico familiar tem uma grande chance de ter varizes.
Dessa forma, embora não seja possível prevenir isso, há como diminuir alguns fatores potencializadores das varizes e minimizar o seu agravamento.

Como diminuir os fatores que podem potencializar a ocorrência de varizes e vasinhos?

Sedentarismo, alcoolismo, má alimentação, obesidade, entre outras questões estão na lista dos fatores que podem aumentar os riscos da ocorrência das varizes e, até mesmo, contribuir para a sua progressão.

Assim, para evitar isso é necessário buscar ter:

• Boa qualidade de vida;
• Alimentação mais saudável;
• Hidratação constante;
• Evitar álcool e tabagismo;
• Controle de peso;
• Controle da pressão arterial;
• Prática de atividades físicas, especialmente a musculação e os exercícios para panturrilha, que ajudam a melhorar a circulação;
• Fazer o check-up anual com o Angiologista e Cirurgião Vascular – principalmente para quem já tem histórico familiar de doenças vasculares.

O que fazer quando as varizes começam a aparecem?

Se os vasinhos e as varizes já começaram a aparecer, mesmo que de forma bem tímida, o ideal é que você procure o médico, Angiologista e Cirurgião Vascular, para fazer o acompanhamento e o tratamento. Isto é uma forma de controlar as varizes e os vasinhos, impedindo que se agravem.

Vale lembrar que após a gravidez e/ou o uso de anticoncepcional por muitos anos é muito comum que ocorra o aumento de varizes e vasinhos. Por isso, é importante ir tratando e controlando isso desde o início.

Por que é necessário controlar e tratar as varizes?

Na verdade, o controle e o tratamento são fundamentais para não deixar as varizes aumentarem e progredirem.
Além disso, o tratamento permite :
• Diminuir dores e inchaços nas pernas,
• Minimizar incômodos, como os edemas,
• Manter as pernas saudáveis,
• Melhorar da autoestima, com a melhora estética das pernas – quem não quer ficar mais confortável para usar roupas curtas, biquinis, etc, não é mesmo?
Dessa forma, embora não se previna a ocorrência das varizes, é possível controlar os fatores potencializadores e as primeiras evidências, evitando, assim, a sua progressão.

Simples vasinhos ou varizes de grosso calibre? O que você tem?

Você sabia que varizes e vasinhos são problemas diferentes? E que  existem classificações e níveis de gravidade diferentes das varizes?

Os vasinhos, ou as telangiectasias, são pequenos vasos localizados abaixo da pele, de cor violeta ou rosa, elas se alastram como teias de aranha e provocam grande desconforto estético.

Já as varizes são veias anormais, que ficam dilatadas, tortuosas e retorcidas. Elas perdem a sua função e podem provocar dores e outros transtornos para os pacientes.

As varizes podem ter vários tipos e estágios, que variam de acordo com calibre das veias, edema, alterações da pele como pigmentações e feridas.

 

Mas, como saber qual o seu tipo?

 

Os sintomas podem variar muito. É possível, por exemplo, encontrar varizes grossas e que não apresentem quase nenhum sintoma.

E, por outro lado, ter apenas vasinhos e sentir vários sintomas. Há também casos em que a paciente apresente tanto vasinhos quanto varizes.

Para fazer essa “classificação” e avaliar a situação do paciente é necessário passar por exame clínico com o médico Angiologista e Cirurgião Vascular e, se necessário, realizar alguns exames complementares.

 

Qual o melhor tipo de tratamento

 

A partir do diagnóstico, o médico irá indicar o tratamento mais adequado, de acordo com o histórico de saúde do paciente e o nível de progressão das varizes ou dos vasinhos.

Em alguns casos, o médico pode sugerir técnicas combinadas, que apresentam um resultado muito satisfatório.

Conheça alguns dos tratamentos disponíveis:

Escleroterapia – CLIQUE AQUI

Tratamento com espuma – CLIQUE AQUI

Laser – CLIQUE AQUI

Laser e escleroterapia (ClaCs) – CLIQUE AQUI

Cirurgia – CLIQUE AQUI

Atletas de alta performance também têm varizes?

A resposta é sim! Mesmo fazendo atividade física diária, musculação e participando de competições, é possível que um atleta de alta performance tenha varizes. Isso porque a principal causa das varizes está associada ao fator genético.

 

Mas, então, atividades físicas não impedem a ocorrência de varizes?

Embora não impeçam a ocorrência de varizes, por se tratar de um fator genético, as atividades físicas são muito importantes para minimizar a ocorrência e a gravidade delas.

 


Isso porque existem uma série de fatores que podem potencializar a ocorrência de varizes, tais como:
a) Sedentarismo
b) Má alimentação
c) Obesidade
d) Tabagismo
e) Alcoolismo
f) Anticoncepcionais e hormônios

Dessa forma, ao manter uma boa alimentação e praticar atividades físicas, a pessoa evita os fatores potencializadores que poderiam aumentar e ou agravar as varizes.

 

Quem tem varizes, pode fazer musculação e esportes de alta performance?

Sim. As atividades físicas, especialmente a musculação, podem trabalhar com a panturrilha, o que ajuda no retorno venoso das pernas e contribui para a melhoria da circulação. Questões que são muito importantes para quem têm varizes, ou possuem histórico familiar.
Mas, vale lembrar, que é muito importante fazer o acompanhamento com o médico, cirurgião vascular e angiologista.

 

Gostou das informações? Veja também outros conteúdos sobre o assunto:

 

 

DR. GUSTAVO COSTA FRANKLIN DOS REIS

ANGIOLOGISTA E CIRURGIÃO VASCULAR

Tratamento varizes: tipos e processos de recuperação

Existem várias possibilidades para o tratamento de varizes, com técnicas cada vez menos invasivas e com recuperação mais rápida.
Porém, em alguns casos ainda é necessário realizar a cirurgia. A indicação de cada tratamento deve ser feita sempre pelo médico, Angiologista e Cirurgião Vascular, a partir da avaliação do paciente, do seu histórico de saúde e da sua necessidade.

Abaixo apresentamos alguns tipos de tratamentos para varizes e como são os processos de recuperação de cada um deles:

1) Safenectomia

É a cirurgia para retirada de safena, normalmente indicada para pacientes que estão com a veia muito dilatada e com refluxo significativo.
Por ser um processo mais invasivo, que demanda internação e repouso pós-operatório, a sua recuperação pode ser mais lenta. O tempo de recuperação pode variar de uma semana até 30 dias, em média, para retomada das atividades. Mas, vale lembrar que podem ter exceções.

 

2) Cirurgia a laser

Nessa cirurgia é inserida dentro da veia uma fibra ótica, com o laser, que é aplicado, secando e tratando as varizes.

Por não ter cortes e internação, a recuperação é mais rápida. E, entre 4 e 7 dias o paciente pode retomar as suas atividades.

 

3) Cirurgia com radiofrequência

Procedimento similar à cirurgia à laser, porém usa a emissão de radiofrequência para eliminar a safena. Por não demandar cortes e internação, a recuperação também varia entre 4 e 7 dias.

 

4) Escleroterapia com espuma

Mais conhecido como aplicação com espuma, este tratamento para varizes é considerado com um dos menos invasivos. Afinal, trata-se da aplicação com seringa de medicamento para secar as varizes.

Normalmente demanda mais de uma aplicação, mas a recuperação é super rápida. O paciente não precisa interromper as suas atividades cotidianas, mas é importante que use meias compressivas.

 

5) ClaCs

Este tratamento integra as técnicas de escleroterapia (aplicação) e laser para potencializar os resultados. Também está entre os procedimentos pouco invasivos, em que o paciente não precisa interromper as suas atividades e não precisa usar meias compressivas.

Para todos os tipos de tratamento, é fundamental que o paciente mantenha o acompanhamento com o médico Angiologista e Cirurgião Vascular.

 

Por Dr. Gustavo Costa Franklin Reis

Meias de compressão: como e quando usar?

As meias de compressão normalmente são indicadas pelo médico para pessoas que têm problemas vasculares, tais como varizes, vasinhos, trombose.

Como o próprio nome diz, a meia ajuda a fazer pressão nas pernas e, assim, auxiliam no regresso do sangue dos pés para o coração. Isto proporciona melhoras para a circulação e, consequentemente, traz alívios para as sensações de pernas inchadas, pesadas e doloridas.

Quando usar?

As meias podem ser indicadas para prevenção, tratamento ou pós-tratamento de problemas vasculares. Com destaque para os seguintes casos:

• Pessoas que tenham Varizes e vasinhos,
• Pessoas que tenham Trombose,
• Gestantes,
• Pessoas com problemas vasculares que necessitam ficar por muito tempo em pé ou sentadas,
• Pessoas com problemas vasculares que vão realizar viagens longas,
• Pós-cirúrgico, especialmente se o paciente necessitar ficar muito tempo deitado,
• Pessoas acamadas,
• Pós-tratamento de varizes e vasinhos,
• Pessoas que tenham histórico familiar de trombose, varizes ou vasinhos,
• Pessoas que têm problemas vasculares e que vão realizar atividades físicas (meias de compressão esportivas),
• Entre outros.

Como usar?

As meias podem ser usadas em várias situações – no dia-a-dia, durante o trabalho, durante as atividades físicas, passeios, viagens, para prevenção, tratamento, pós-tratamento, pós-cirúrgico, entre outros.
Atualmente existem diversos tipos e modelos de meias de compressão – que cobrem os pés e a panturrilha, que cobrem até a coxa, outras que vão até o abdômen e, até mesmo, meias de compressão esportivas.
Além disso, existem níveis diferenciados de compressão. Por isso, o ideal é que a meia seja recomendada pelo médico, especializado em Angiologia e Cirurgia Vascular, que terá condições de indicar o modelo e o tipo de compressão mais adequada para a necessidade do paciente.

Por Dr. Gustavo Costa Franklin dos Reis

Tratamento estético e tratamento médico: como saber a diferença?

Em busca de uma boa aparência e do bem estar físico, muitas pessoas acabam se confundindo entre tratamentos estéticos e médicos. E isso pode representar um grande risco para a saúde, como tem sido amplamente divulgado nos meios de comunicação nos últimos dias.

Um bom exemplo para isso é o tratamento de varizes e vasinhos. Sempre sou procurado por pessoas que perguntam se esse tipo de tratamento só pode ser feito por um médico. E a resposta é categórica: SIM, somente por um médico especialista!

Embora sejam associadas ao grande incômodo estético que provocam, as varizes e os vasinhos são doenças vasculares, que podem levar à complicações para a saúde, caso não sejam devidamente tratadas.

Por isso, mesmo com opções de técnicas menos invasivas de tratamento, o procedimento deve ser feito apenas por um médico, especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, e em local adequado – consultório, clínicas médicas ou hospital; com todo aparato necessário.

Afinal, o médico Angiologista e Cirurgião Vascular é o profissional habilitado, com formação e especialização adequadas, para ser responsável e zelar pela integridade do paciente, realizando os exames necessários, indicando qual o tratamento mais adequado para cada situação e fazendo o acompanhamento pós-tratamento. E tudo isso com o amparo do Conselho de Medicina e da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Por outro lado, o tratamento estético, que por definição tem como finalidade apenas a aparência física das pessoas, envolve atividades de baixa complexidade. E, portanto, pode ser desenvolvido por profissionais com capacitação técnica focada no procedimento estético que será realizado.

Assim, fica mais fácil delimitar e diferenciar um tratamento estético de uma questão médica. No entanto, em caso de dúvidas, o mais indicado é que antes de realizar qualquer tratamento, você procure um médico para ser orientado.

Por Dr. Gustavo Costa Franklin dos Reis

Quem tem varizes pode fazer musculação?

Em meu consultório uma pergunta muito comum é sobre a influência da musculação no aparecimento ou agravamento da varizes.

Sabemos que o sedentarismo está entre os fatores potencializadores das varizes, assim, a prática de atividades físicas é muito importante para quem tem problemas de circulação e doenças arteriais.

Caminhada, corrida ou natação, normalmente são atividades recomendadas, pois ajudam na ativação da circulação, fortalecem a musculatura das pernas, favorecem a oxigenação dos músculos e de outros órgãos e, consequentemente, no condicionamento físico.

A musculação, assim como qualquer outra atividade física, também pode ajudar nesse sentido. Para isso, no entanto, é fundamental que a atividade seja devidamente acompanhada por um profissional especializado e que sejam tomados cuidados com a carga de peso e de  exercícios.

 

Como a musculação pode causar ou piorar as varizes?

 

O excesso de carga de peso e de exercício pode provocar:

  • Lesões que causam alterações na circulação.
  • Ao realizar uma atividade mais intensa ou usar um equipamento com carga mais pesada, há uma tendência da pessoa prender a respiração, o que provoca um aumento na pressão intra-abdominal. Assim há uma consequência direta na circulação, causando um aumento na pressão das veias.

 

As duas questões podem potencializar o aparecimento de varizes, especialmente nas pessoas que já possuem histórico familiar ou têm algum outro fator potencializador – tabagismo, uso de álcool, uso de anticoncepcional, tratamento hormonal, entre outros.

Para quem já tem varizes, há a possibilidade de intensificar o problema. Por isso, é importante redobrar o cuidado.

 

Então, não devo fazer musculação?

 

Sempre vejo pontos positivos na musculação: controle do peso, melhora no sono, do metabolismo, circulação, equilíbrio hídrico e muito mais.

Por isso, na minha opinião, os benefícios da atividade física acabam por superar os riscos. Ajudam a fortalecer a panturrilha, melhorar o condicionamento físico e a circulação.

Para ter mais segurança –  se você possui varizes, tem histórico familiar ou algum fator que potencializa o aparecimento; é recomendável que antes de iniciar a atividade procure um médico, especialista em angiologia e cirurgia vascular.

Isso porque o médico pode indicar meias esportivas de compressão, que podem ajudar no exercício, assim como dar outras dicas e recomendações, considerando o seu perfil e as suas condições físicas.

Além disso, é essencial que você sempre tenha o acompanhamento de um profissional qualificado quando for praticar a atividade, para que ele oriente sobre exercícios, movimentos e carga de pesos.

 

Por Dr. Gustavo Franklin

Angiologista e Cirurgião Vascular

Varizes podem ser tratadas com pomadas?

Todos os dias as pessoas assistem aos comerciais que falam sobre cremes e pomadas que prometem tratar das varizes. Em meu consultório já recebi muitos pacientes que me questionam sobre a eficácia destes produtos para as varizes. Por isso, decidi escrever esse artigo para esclarecer a dúvida.

Em primeiro lugar é importante entender que, muito além do desconforto estético, as varizes são doenças vasculares – veias tortuosas, altas, doentes; que precisam ser tratadas.

As varizes têm origem genética, mas podem ser potencializadas por diversos fatores, tais como sedentarismo, alcoolismo, tabagismo, tratamentos hormonais, problemas de circulação, entre outros. Por isso, elas podem acometer mulheres – especialmente por causa das questões hormonais e do uso de pílulas anticoncepcionais; e também homens.

Os principais sintomas são: dores nas pernas, inchaço, sensação de queimação ou de “perna cansada”. Caso não sejam devidamente tratadas, elas podem evoluir para quadros de úlceras – feridas; tromboses e, até mesmo, embolia pulmonar, entre outros problemas de saúde.

 

Quando usar as pomadas?

 

Quando prescritas por um médico especialista, as pomadas podem trazer o efeito de alívio e amenizar os sintomas da varizes, mas não tratam de fato a veia.

Elas  também podem ser úteis no pós tratamento de cirurgias, de aplicação e laser, pois ajudam na absorção dos hematomas e na recuperação.

Assim, as pomadas podem ser prescritas para uso conjuntamente com outros tratamentos.

 

Tratamentos para varizes

 

Dentre as possibilidades existentes hoje podemos destacar:

– Uso de pomadas, meias elásticas e medicação: para casos mais simples, o médico pode recomendar para amenizar os sintomas.

– Aplicação com espuma (Escleroterapia): aplicação diretamente na veia de uma espuma com líquido esclerosante.

Laser endovenoso: aplicação de laser para cauterização das veias doentes.

– ClaCs: uso associado de aplicação (escleroterapia) e laser para tratar para vasinhos e veias reticulares.

Cirurgia de safena: cirurgia para retirada da veia safena.

A recomendação do tratamento mais adequado vai variar de acordo com o quadro do paciente – casos mais simples ou complexos; o estado de saúde e o histórico do paciente e, até mesmo, a sua disponibilidade para o tratamento e para a recuperação.

Isso porque alguns tratamentos podem exigir mais de uma sessão para que se tenha um resultado mais efetivo. Por outro lado, há tratamento que exige um período maior de recuperação, enquanto outros são bem menos invasivos e o paciente pode retomar a sua rotina bem rapidamente.

É importante ressaltar que somente o médico, especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, é quem deverá recomendar qual o tratamento mais adequado para cada paciente, considerando a sua situação.

O ideal é agendar uma consulta para realizar a avaliação clínica. Caso necessário, serão recomendados exames complementares.

 

Gustavo Franklin

Angiologia e Cirurgia Vascular

Cuidado com o sol quando fizer tratamento de varizes

O tratamento para varizes pode ser feito de várias formas, dentre elas a cirurgia, a aplicação com espuma e laser.

As situações podem deixar hematomas pequenos na pele, que desaparecem, em média, uma semana após o tratamento.

No entanto, se a pele for exposta ao sol, sem proteção, esses pequenos hematomas podem fixar, deixando uma marca quase que permanente na pele.

Como evitar as marcas na pele


Para evitar isso, as recomendações são:

➡️ Evite ao máximo a exposição ao sol na primeira semana do tratamento;

➡️Se for necessário se expor ao sol, não se esqueça do protetor solar, especialmente nos locais em que os hematomas apareceram;

➡️Mantenha o uso caprichado do protetor, mesmo nas semanas seguintes ao tratamento;

➡️Em caso de dúvida, consulte o seu médico.

Saiba mais


A indicação do tratamento adequado para varizes deverá ser feita por um médico, especialista em angiologia e cirurgia vascular, a partir da avaliação do paciente.

Para mais informações, CLIQUE AQUI

Pré-verão é a melhor época para tratamento de varizes

A maioria das pessoas só se lembra das varizes e vasinhos no verão quando estão vestindo shorts, saias e bermudas. Nesta hora, surge o arrependimento de não ter tratado as veias antes. A melhor época para cuidar das varizes é no pré-verão. Durante os meses de maio a outubro, as temperaturas estão mais amenas e as pernas podem ficar escondidas e protegidas do sol enquanto se faz o tratamento.

Porque não podemos expor nossa pele ao sol enquanto estamos tratando as varizes? Para as teleangectasias (vasinhos), que são aquelas veias finas e arroxeadas nas pernas, o melhor tratamento é a escleroterapia. Neste tratamento, aplicações de medicamentos fazem os vasinhos desaparecerem. Após as aplicações, é necessário evitar a exposição ao sol, para prevenir o aparecimento de manchas. Evitar o sol durante as baixas temperaturas é muito mais fácil.

Para as varizes maiores, que necessitam de procedimentos cirúrgicos para serem removidas, evitar o sol é fundamental para não se ter manchas e cicatrizes aparentes. Além disso, é preciso usar a meia de compressão elástica para acelerar a recuperação. Usá-la em dias mais frios é muito mais confortável.

Por todos esses motivos procure o seu angiologista o quanto antes para ficar com as pernas prontas para o verão. Não se trata apenas de um cuidado estético, o tratamento das varizes proporciona melhora da saúde, bem-estar e qualidade de vida.