Posts

É possível prevenir varizes?

Sabemos que varizes é uma doença genética. Isso quer dizer que quem tem um histórico familiar tem uma grande chance de ter varizes.
Dessa forma, embora não seja possível prevenir isso, há como diminuir alguns fatores potencializadores das varizes e minimizar o seu agravamento.

Como diminuir os fatores que podem potencializar a ocorrência de varizes e vasinhos?

Sedentarismo, alcoolismo, má alimentação, obesidade, entre outras questões estão na lista dos fatores que podem aumentar os riscos da ocorrência das varizes e, até mesmo, contribuir para a sua progressão.

Assim, para evitar isso é necessário buscar ter:

• Boa qualidade de vida;
• Alimentação mais saudável;
• Hidratação constante;
• Evitar álcool e tabagismo;
• Controle de peso;
• Controle da pressão arterial;
• Prática de atividades físicas, especialmente a musculação e os exercícios para panturrilha, que ajudam a melhorar a circulação;
• Fazer o check-up anual com o Angiologista e Cirurgião Vascular – principalmente para quem já tem histórico familiar de doenças vasculares.

O que fazer quando as varizes começam a aparecem?

Se os vasinhos e as varizes já começaram a aparecer, mesmo que de forma bem tímida, o ideal é que você procure o médico, Angiologista e Cirurgião Vascular, para fazer o acompanhamento e o tratamento. Isto é uma forma de controlar as varizes e os vasinhos, impedindo que se agravem.

Vale lembrar que após a gravidez e/ou o uso de anticoncepcional por muitos anos é muito comum que ocorra o aumento de varizes e vasinhos. Por isso, é importante ir tratando e controlando isso desde o início.

Por que é necessário controlar e tratar as varizes?

Na verdade, o controle e o tratamento são fundamentais para não deixar as varizes aumentarem e progredirem.
Além disso, o tratamento permite :
• Diminuir dores e inchaços nas pernas,
• Minimizar incômodos, como os edemas,
• Manter as pernas saudáveis,
• Melhorar da autoestima, com a melhora estética das pernas – quem não quer ficar mais confortável para usar roupas curtas, biquinis, etc, não é mesmo?
Dessa forma, embora não se previna a ocorrência das varizes, é possível controlar os fatores potencializadores e as primeiras evidências, evitando, assim, a sua progressão.

Tratamento estético e tratamento médico: como saber a diferença?

Em busca de uma boa aparência e do bem estar físico, muitas pessoas acabam se confundindo entre tratamentos estéticos e médicos. E isso pode representar um grande risco para a saúde, como tem sido amplamente divulgado nos meios de comunicação nos últimos dias.

Um bom exemplo para isso é o tratamento de varizes e vasinhos. Sempre sou procurado por pessoas que perguntam se esse tipo de tratamento só pode ser feito por um médico. E a resposta é categórica: SIM, somente por um médico especialista!

Embora sejam associadas ao grande incômodo estético que provocam, as varizes e os vasinhos são doenças vasculares, que podem levar à complicações para a saúde, caso não sejam devidamente tratadas.

Por isso, mesmo com opções de técnicas menos invasivas de tratamento, o procedimento deve ser feito apenas por um médico, especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, e em local adequado – consultório, clínicas médicas ou hospital; com todo aparato necessário.

Afinal, o médico Angiologista e Cirurgião Vascular é o profissional habilitado, com formação e especialização adequadas, para ser responsável e zelar pela integridade do paciente, realizando os exames necessários, indicando qual o tratamento mais adequado para cada situação e fazendo o acompanhamento pós-tratamento. E tudo isso com o amparo do Conselho de Medicina e da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Por outro lado, o tratamento estético, que por definição tem como finalidade apenas a aparência física das pessoas, envolve atividades de baixa complexidade. E, portanto, pode ser desenvolvido por profissionais com capacitação técnica focada no procedimento estético que será realizado.

Assim, fica mais fácil delimitar e diferenciar um tratamento estético de uma questão médica. No entanto, em caso de dúvidas, o mais indicado é que antes de realizar qualquer tratamento, você procure um médico para ser orientado.

Por Dr. Gustavo Costa Franklin dos Reis