Tratamento varizes: tipos e processos de recuperação

Existem várias possibilidades para o tratamento de varizes, com técnicas cada vez menos invasivas e com recuperação mais rápida.
Porém, em alguns casos ainda é necessário realizar a cirurgia. A indicação de cada tratamento deve ser feita sempre pelo médico, Angiologista e Cirurgião Vascular, a partir da avaliação do paciente, do seu histórico de saúde e da sua necessidade.

Abaixo apresentamos alguns tipos de tratamentos para varizes e como são os processos de recuperação de cada um deles:

1) Safenectomia

É a cirurgia para retirada de safena, normalmente indicada para pacientes que estão com a veia muito dilatada e com refluxo significativo.
Por ser um processo mais invasivo, que demanda internação e repouso pós-operatório, a sua recuperação pode ser mais lenta. O tempo de recuperação pode variar de uma semana até 30 dias, em média, para retomada das atividades. Mas, vale lembrar que podem ter exceções.

 

2) Cirurgia a laser

Nessa cirurgia é inserida dentro da veia uma fibra ótica, com o laser, que é aplicado, secando e tratando as varizes.

Por não ter cortes e internação, a recuperação é mais rápida. E, entre 4 e 7 dias o paciente pode retomar as suas atividades.

 

3) Cirurgia com radiofrequência

Procedimento similar à cirurgia à laser, porém usa a emissão de radiofrequência para eliminar a safena. Por não demandar cortes e internação, a recuperação também varia entre 4 e 7 dias.

 

4) Escleroterapia com espuma

Mais conhecido como aplicação com espuma, este tratamento para varizes é considerado com um dos menos invasivos. Afinal, trata-se da aplicação com seringa de medicamento para secar as varizes.

Normalmente demanda mais de uma aplicação, mas a recuperação é super rápida. O paciente não precisa interromper as suas atividades cotidianas, mas é importante que use meias compressivas.

 

5) ClaCs

Este tratamento integra as técnicas de escleroterapia (aplicação) e laser para potencializar os resultados. Também está entre os procedimentos pouco invasivos, em que o paciente não precisa interromper as suas atividades e não precisa usar meias compressivas.

Para todos os tipos de tratamento, é fundamental que o paciente mantenha o acompanhamento com o médico Angiologista e Cirurgião Vascular.

 

Por Dr. Gustavo Costa Franklin Reis

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *